Category Archives: Letras de Toadas

Home / Archive by category "Letras de Toadas"

“Foi Shacon que ensinou”

Guga (à dir.) e Shacon Viana (foto Gleds Lima), visita o Projeto Calo na Mão no Colégio Antônio Alves Cruz.

.

Neste último sábado (17), o Projeto Calo na Mão teve como atividade sua 3ª aula no curso de introdução ao maracatu, repassando os baques de marcação e imalê, somados com as convenções. A nova turma é muito dedicada, o conteúdo passado têm sido absorvido com facilidade e os exercícios já tomam corpo de toada.
.
Na oficina aberta, que vai das 15h às 17h, foi puxado o “esquenta” e três loas do Grupo Maracatu Bloco de Pedra. Logo depois, foi pedido as timbas para começar as loas da Nação do Maracatu Porto Rico.
.
Quando Guga começa: “Nagô, Nagô, nossa rainha…” – Shacon Viana, mestre da Nação Porto Rico, entra na quadra do Alves, e Guga continua: “Pra quê puxar a loa, se o próprio mestre da Nação tá aí!”, descreve Flávia Fratin.
.
Foram mais ou menos 7 toadas do Porto Rico puxadas por Shacon ao longo da oficina, dentre elas Na Força do Machado, destaque do carnaval 2012 em Recife entre a Nação. Guga aproveitou e cantou Homenagem ao Shacon, loa composta por Marcio Lozano e O Bloco de Pedra Sou Eu, feita pelo Mestre em retribuição à homenagem.
.

.
Conheça a loa Na Força do Machado no Youtube, clique aqui.
.
As loas Homenagem ao Shacon e O Bloco de Pedra Sou Eu, clique aqui.


Veja um pouco do que rolou no Projeto no último sábado neste filme de Francisco Schuller Isensee, clicando aqui.


Axé!

por Gustavo Nunes

No dia do aniversário: presente!

Pessoal,

no dia 29/02/11 o Grupo Maracatu Bloco de Pedra completa 6 anos! De presente recebemos por email do Felipe Romano do Quiloa, um vídeo do Baque Mulher, grupo dirigido pela Mestra Joana que também dirige o batuque da Nação do Maracatu Encanto do Pina.

.

Vejam o vídeo!

.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=RfLHxf8b2RY&feature=related[/youtube]

Apresentação – Museu Afro Brasil – 22/08/2010

Boa tarde pessoal,

Neste domingo (22/08/2010) o Maracatu Bloco de Pedra  realizará um cortejo no Parque do Ibirapuera em comemoração aos 56 anos do parque a convite do Museu Afro. Com muita satisfação read more…

Letras das toadas

Opa! Faz tempo que estamos devendo um post com as letras de todas as toadas do Bloco. Sempre existem músicas novas na “fila de espera” aguardando para fazer parte do nosso repertório, mas abaixo seguem apenas as que já executamos.
Quase todas foram feitas para o Bloco de Pedra, mas existem algumas exceções como Ó Pai, tocada anteriormente pelo grupo Batuntã e pelo grupo Viralatisse, além de Homenagem ao Chacon e Vem Subindo a Ladeira, compostas inicialmente para o grupo Viralatisse.

Por ora é só, se alguém perder esse post de vista ele estará na categoria Letras de Toadas.

Abs!

Amarelo Ouro
(Marcio Lozano)

Amarelo ouro,
branco Candomblé…
Quem é que sabe dizer: o que é, o que é!

Amarelo ouro,
branco Candomblé…
Quem é que sabe dizer: o que é, o que é!

Pra brincar esse Maracatu,
vem seguindo a multidão.
É mais forte o meu baque virado,
é mais belo o meu pavilhão!

Pra brincar esse Maracatu,
vem seguindo a multidão.
É mais forte o meu baque virado,
é mais belo o meu pavilhão!

Homenagem ao Chacon
(Marcio Lozano)

Esse baque é lento,
foi Chacon que ensinou.
É chamado o baque das ondas,
assim ele chamou.

Esse baque é lento,
foi Chacon que ensinou.
É chamado o baque das ondas,
assim ele chamou.

Esse baque vem de além mar
foi trazido por Nação Nagô.
Esse baque é de Orixá,
é toque de tambor.

Esse baque vem de além mar
foi trazido por Nação Nagô.
Esse baque é de Orixá,
é toque de tambor.

Deixa o tambor ecoar
se espalhar na imensidão,
que esse toque é pra lembrar
a força da tradição.

Deixa o tambor ecoar
se espalhar na imensidão,
que esse toque é pra lembrar
a força da tradição.

Lá em casa
(Marcio Lozano)

Lá em casa eu faço bombo,
feito negro fez um dia.

Pra replantar a semente
dessa gente,
gente minha.

Lá em casa eu toco bombo,
feito negro fez um dia.

Pra replantar a semente
dessa gente,
gente minha.

Lá em casa eu deixo a porta
sempre aberta é só chegar!
Com humildade, respeito e
coragem pra ficar.

Lá em casa eu canto a história
que negro viveu um dia.

Pra replantar a semente
dessa gente,
gente minha.

Mãe África (Meu Maracatu chegou)
(Marcio Lozano)

Meu Maracatu chegou
pra arrastar a multidão.
Tem a força do tambor,
feito prece e oração.

Meu Maracatu chegou
com a força e o poder,
que Mãe África deixou
pra gente se entender.

Tem um baque que é forte,
que aponta o norte, a nossa intenção…
Tem o rumo da gente
soprado no apito do meu capitão.

Tem um baque que é forte,
que aponta o norte, a nossa intenção…
Tem o rumo da gente
soprado no apito do meu capitão.

Menina da Saia Rodada
(Vinicius Pereira)

Menina da saia rodada
balança que eu quero ver.
Essa tarde eu bato bombo forte,
só pra te ver!

Menina da saia rodada
balança que eu quero ver.
Essa tarde eu bato bombo forte,
só pra te ver!

Nossa Bandeira
(Marcio Lozano)

Eu vou subir nossa bandeira
no alto da antena pra mostrar,
onde fica nossa casa,
onde é nosso lugar.

Eu vou subir nossa bandeira
no alto da antena pra mostrar,
onde fica nossa casa,
onde é nosso lugar.

De longe vai dar pra ver.
Bandeira!
Hasteada no topo do Ilê.

De longe vai dar pra ver.
Bandeira!
Lá no alto do Ilê.

O Bloco de Pedra Sou Eu
(Chacon Viana)

Sou eu, sou eu,
o Bloco de Pedra sou eu!

Sou eu, sou eu,
o Bloco de Pedra sou eu!

Chega minha gente
pode vir tocar,
no baque parado
das ondas do mar.

Chega minha gente
pode vir tocar,
no baque parado
das ondas do mar.

Quando eu toco o tambor
é pra todos dançar,
no baque parado
das ondas do mar.

Foi o Mestre Shacon
quem pediu pra tocar,
no baque parado
das ondas do mar.

É no baque parado
e no baque nagô,
chega meu povo,
tocando tambor.

É no baque parado
e no baque nagô,
chega meu povo,
tocando tambor.

Oleruê, Oleruá!
(Marcio Lozano)

Oleruê, oleruá!
Oi se atenta meu povo, se atenta,
pra essa loa que eu vim cantar.

Oi se atenta meu povo, se atenta,
pra essa loa que eu vim cantar.

É de baque virado,
essa loa!

É de baque virado,
essa loa!

É de Maracatu…

Voz dos antepassados que ecoa!
É de baque virado,
essa loa!

É de Maracatu…

Ó Pai
(Vinicius Pereira)

Ó Pai hoje eu peço ao senhor!
Ó Pai hoje eu peço ao senhor!

Proteja o meu Maracatu,
proteja o meu Maracatu.

Que é de baque virado,
vem pedir proteção.
Vou bater nesse bombo
de ombro marcado,
de rasgo na mão.

Vou bater nesse bombo
de ombro marcado,
de rasgo na mão.

Raiou o Sol
(Marcio Lozano)

Eu vi nascer um novo dia
de alfaias e luzes no olhar.
Eu vi nascer um novo dia
de alfaias e vozes a cantar.

Eu vi nascer um novo dia
de alfaias e luzes no olhar.
Eu vi nascer um novo dia
de alfaias e vozes a cantar.

Raiou o sol!

Raiou o sol,
ao som do meu tambor
raiou o sol!

Raiou o sol,
ao som do meu tambor
raiou o sol!

Vem Subindo a Ladeira
(Marcio Lozano)

Vem subindo a ladeira, vem lá!
Vem subindo a ladeira, vem lá!

Olha o Bloco de Pedra,
vem quem quer brincar.

Olha o Bloco de Pedra,
vem quem quer brincar.

Chegou, chegou!
Chegou de lá…
Vai ter tambor, ó cambinda,
pra gente brincar.

Chegou, chegou!
Chegou de lá…
Vai ter tambor, ó cambinda,
pra gente brincar.

Relatos de Viagem

Gente feliz, gente muito feliz! Esta é a impressão que guardei da I Convenção do Bloco de Pedra. Pra quem foi, a viagem despensa comentários, pra quem não foi tem muita coisa pra escutar! Daqui a pouco (rapidinho mesmo!) coloco aqui neste post algumas fotos e alguns audios, por hora deixem aqui seus comentários e impressões.

******** Opa! Conforme tinha prometido abaixo segue o link para as fotos tiradas pelo Ernani e algumas das toadas que gravei com o gravadorzinho de mão (obrigado ao Claudio que emprestou o gravador).

Continuem deixando seus recados e impressões!

Musicas: clique nos nomes e ouça as músicas:

Mãe África

Nossa Bandeira

Menina da Saia Rodada

Ó Pai

Vem Subindo a Ladeira

Amarelo Ouro

Oleruê, Oleruá

Sou eu, Sou eu

Esse é Bloco de Pedra e o Projeto Calo na Mão

Hoje tem Maracatu

Eu Já Vi

Você também pode baixar todas as musicas clicando aqui

Fotos

Clique aqui para ir ao Flickr e ver todas as fotos da viagem tiradas pelo Ernani

E por fim algumas das fotos do Ernani só  pra dar um gostinho!

Nação Porto Rico (estudo das Nações)

Com o fim do segundo turno das eleições voltamos as nossas atividades normais, dia 1 de Novembro será um dia livre, então vamos tocar toadas de várias Nações, as nossas e quem sabe até alguma toada nova, como a previsão do tempo é para chuva a tarde (espero que esteja errada!), não vamos descartar a possibilidade de fazer um Coco de roda. Ou seja, faça chuva ou faça sol podem vir que a brincadeira esta garantida.

Já a partir do dia 8 daremos seqüência ao estudo das Nações, estudando a Nação Porto Rico, então dêem uma boa vasculhada no Blog do Porto Rico que tem vídeos, loas e músicas para serem baixadas, histórico da Nação e muito mais. Este ciclo vai durar 4 fins de semana e logo no segundo, dia 15 de Novembro, teremos a Sessão Caldinho de Feijão, com vídeo sobre o Porto Rico.

Visita do Mestre Shacon ao Alves Cruz em 2008

Visita do Mestre Shacon ao Bloco de Pedra este ano. Fotos do Ernani Baraldi, parte do projeto Fotografo Urbano.

TOADAS DO BLOCO DE PEDRA

Aqui estão algumas das toadas do bloco que ensaiamos recentemente.

Mãe África (Meu maracatu chegou) (Marcio Lozano)

Meu maracatu chegou

pra arrastar a multidão.

Tem a força do tambor,

feito prece e oração.

Meu maracatu chegou

com a força e o poder,

que Mãe África deixou

pra gente se entender.

Tem um baque que é forte,

que aponta o norte da nossa intenção,

tem o rumo da gente

soprado no apito do meu capitão.

Lá em casa (Marcio Lozano)

Lá em casa eu faço bombo

feito negro fez um dia,

pra replantar a semente,

dessa gente…Gente minha.

Lá em casa eu toco bombo

feito negro fez um dia,

pra replantar a semente,

dessa gente…Gente minha.

Lá em casa eu deixo a porta

sempre aberta, é só chegar!

Com humildade, respeito

e coragem pra ficar.

Lá em casa eu canto a história

que negro viveu um dia,

pra replantar a semente,

dessa gente…Gente minha.

Nossa bandeira (Marcio Lozano)

Vou subir nossa bandeira

no alto da antena pra mostrar,

onde fica nossa casa,

onde é nosso lugar.

De longe vai dar pra ver.

Bandeira!

Hasteada no topo do Ilê.

De longe vai dar pra ver.

Bandeira!

Lá no alto do Ilê.


Homenagem ao Shacon (Marcio Lozano)

Esse baque é lento

foi Shacon que ensinou,

é chamado baque das ondas,

assim ele chamou.

Esse baque vem de além mar

foi trazido por Nação Nagô.

Esse baque é de Orixá,

é toque de tambor.

Deixa o tambor ecoar

se espalhar na imensidão,

que esse toque é pra lembrar

a força da tradição.

Menina da saia rodada (Vinicius Pereira)

Menina da saia rodada

balança que eu quero ver,

essa tarde eu bato bombo…

Forte! Só pra te ver.

* OBS. Na primeira versão era “Morena da saia rodada”

Com licença o de casa (Vinicius Pereira)

Com licença o de casa,

pro meu baque aqui passar.

Passou… passou…

Passa o meu baque virado!

Meu pai com calma (Roberta)

Meu pai com calma

apagou o pito,

pegou o apito

e chamou o abê.

Gonguê e caixa

sustenta a toada,

pra Alfaia ‘moê’.

Mas olha só quem chegou,

foi preto velho quem chamou,

o menina vem pra cá

pro Maracatu vem batucar.

Vem subindo a ladeira (Marcio Lozano)

Vem subindo a ladeira vem lá,

Vem subindo a ladeira vem lá,

Olha o Bloco de Pedra vem quem quer chegar!

Olha o Bloco de Pedra vem quem quer chegar!

Chegô, chegô,

Chego de lá, vai ter tambor oi cabimda pra gente brincar!

Chegô, chegô,

Chego de lá, vai ter tambor oi cabimda pra gente brincar

TOADAS DO MARACATU NAÇÃO LEÃO COROADO

Todas as toadas são tocadas com o baque de Pitomba, tradicional baque do Leão Coroado

Oh! senhora do Rosário a sua casa cheira
cheira cravo, cheira rosa cheira a flor de laranjeira

Samba lêlê tá mutá ooh!
viemos de Luanda
oh! minha gente vem ver o Leão onde anda

Nessa casa diamante aonde o Leão entrou
palavra rei medalha medalha pro governador

olê olá negrada olha a linha
sustenta essa pisada nosso rei nossa rainha

lanceiro sentido somos de Minas Gerais
a licença foi tirada pelo barão de Caxangá

Esse maracatu foi fundado em 1863
codinome Leão Coroado passado e glorias nunca se desfez
é o maracatu mais antigo, pois nenhum museununca lhe acolheu
nós somos de nação germam semente africana Xangô pai nos deu

olha a costa veia
é nagô ifã
Leão Coroado é nação german

TOADAS DA NAÇÃO PORTO RICO

Oh! Eu sei, minha origem é Nagô,
É Nagô, é Nagô, é Nagô, é Nagô, é!
Oh! Eu sei, minha origem é Nagô,
Sei de onde vim, mas onde vou, senhor?

Onde estão nossas origens,
Que a história não registrou?
Onde estão nossos heróis da história,
E com passado de glória, com destemor?

Entre os grandes heróis, mostramos,
Que o líder maior, Zumbi.
Nunca foi o bicho mau da história,
Que muitas vezes na escola,
Com medo ouvi.

Viva treze de Maio,
“negro livre no Brasil”.
Mas ao bem da verdade,
Foi um “primeiro de abril”.

SE É BÀBÁ (XEU ÊPA BÀBÁ– Shacon Viana

Oxalá meu pai
Tenha pena de nós, tenha dó
Salve a Nação Porto Rico
Que seus poderes são maior

A Nação de Porto Rico
Vem trazendo todos os santos
Vamos homenagear
De Êxum a orixalá

Bate o agonguê, toque o ijexá,
Bate o agonguê, canta Xêuêpa Babá.

SALVE OS BATUQUEIROS – Shacon Viana

Bate o bombo no terreiro,
Chamando os filhos pra dançar.
Salve, salve os batuqueiros,
Porto Rico vai passar.

Da licença meu senhor,
Da licença minha senhora,
Da licença eu vou passar,
Que os trovão já vão embora.

Salve Deus minha Nação,
Que aqui se consagrou,
Salve o povo de Luanda,
Só um adeus que eu já me vou.

CANTO PRA XANGÔ OMULÚ– Shacon Viana

Surgiu um grito nas pedreiras,
“kawo, kawo, kabé, se ilê”,
bate o bombo na aldeia.
Chamando os filhos de fé.

Eu sou filho de Nanã,
Quem me chamou foi Yemanjá.
Porto Rico tem um baque,
Baque das ondas do mar.

BAQUE DAS ONDAS– Shacon Viana

O feitiço da bruxa de pano,
Boneca de cera vamos respeitar
Porto Rico que vem de Luanda,
Segure o baque das ondas do mar.

Salve Xanô nas pedreiras,
Oxósse na mata, Oxum na cachoeira.
Odó Mió! Yemanjá.
Segure o baque das ondas do mar.

Vem chegando Nanã e Omolú,
Ossain e as folhas, salve Obá!
A rainha que é Yansan,
Segure o baque das ondas do mar

É das ondas do mar (êo)
É das ondas do mar (e laia)
É das ondas do mar
Segure o baque das ondas do mar
Pout Pourri – Nas águas verdes do mar

Nas águas verdes do mar,
Vi um barquete bonito

Quando o farol deu sinal,
Eu avistei Porto Rico.

Se meu povo está em guerra
Yansan vem lê salvar
Salve o povo de Olorún
Êpahei! Chegou Oba!

Atotô a Omolú,
Pra curar todos feridos.
A Yêeu, mamãe Oxum,
Com seu canto e muito brilho.

É Ogum nosso guerreiro,
É Oxósse o caçador.
Esse é o baque de guerra,
Salve o povo de Olorún.

MEU BAQUE É LENTO

Meu baque é lento,
Vem das ondas do mar.
Vou levar flores,
Pra minha mãe, Yemanjá.

Toca o aljá pra Xangô,
Tca o Ijexá pra Oxalá.
Oxum é a Deusa do Ouro,
Princesa dos orixás.

NOITE DO DENDÊ– Shacon Viana

Chega meu povo, corre pra ver,
Nação Porto Rico e a noite do Dendê.

Em 1914, fiz a noite do Dendê,
Em 1914, fiz a noite do Dendê.

Tocando ilu pelo terreiro, só pra ver o chão tremer.
Tocando ilu pelo terreiro, só pra ver o chão tremer.

Vamos cantar minha gente,
Nessa noite eu quero ver.
De Exu a Orixalá,
Batendo baqueta, quebrando o Dendê.

ELIZABETH A RAINHA – Shacon Viana

Ela é a minha madrinha,
Elizabeth a rainha acabou de chegar.

Toque um egó, batuqueiro.
A que nesse terreiro, pra ela dançar.

É pra ela dançar, é pra ela dançar,
Toque um ego batuqueiro,
A que nesse terreiro pra ela dançar.

NAÇÃO GUERREIRA

Oh Porto Rico, Nação guerreira.
Nação verdadeira de muito valor.
Bate o bombo, manda uns trovão,
Porto Rico é de nação Nagô.

NO TOQUE DO MEU TAMBOR

Quando toco meu tambor,
Quando escuto o meu cantar.
É no reino de Ogum,
Que Porto Rico vai passar.

No toque do meu gongué,
No chiquichá dos meus agbês.
Tarol e caixa pra você,
Na marcação que eu quero ver.

“Porto Rico é de Nação Nagô”

TOADAS DA NAÇÃO ESTRELA BRILHANTE DE RECIFE

Nação Estrela Brilhante de Recife

1)
Cheguei meu povo, cheguei pra vadiar
Cheguei meu povo, cheguei pra vadiar

Sou eu a Nação Estrela
não prometo pra faltar

=============================

2)
Sou estrela do mar
Eu vivo a navegar
Eu sou!

Na ilusão do horizonte
Sou eu a estrela mais linda que há

=============================

3)
Olha a Costa Velha é Nagô Afã
Estrela Brilhante é Nação Germana

Vejo um quê na estela, tem um brilho sem igual
Uma luz tão fagueira ilumina a corte real

=============================

4)
Os tambores acariciam a noite
Sinhá Marivalda acordou
E o estandarte do Estrela chegou

Ôoo ôo ôoo

Bravos guerreiros que dançam com ira da dor
Luz nas escadarias do morro
O estandarte do Estrela chegou

Salve o rei, salve a rainha
do Morro da Conceição!

Eles descem o morro de branco
pra sambar maracatu

=============================

5)
Dança a rainha, vassalo e escravo
Todos os lanceiros e a corte real
Toque o batuque no baque virado
Dama de paço escute o compasso

Vem meu rei, embaixador e princesa também
Catirina olha o baque zuando
É o Estrela que já vem chegando

=============================

6)
Levante a bandeira que o mestre apitou
Com dama de paço o Estrela chegou

Chegou, chegou

Com baque parada e baque trovão
Com dama de paço escuta o refrão

=============================

7)
Quando os nossos tambores zoou
E a dama de paço girou
Meu estandarte brilhou
Porque sou Nação Nagô

Vem Nação Estrela Brilhante cantar
Bate forte os nossos tambores
Rufa a caixa, mineiro e ganzá
Joventina Erundina não deixa o tambor se calar

=============================

8)
Vovó falou e o Barão assinou
Vovó falou e o Barão assinou
Estrela Brilhante é Nação Nagô
Estrela Brilhante é Nação Nagô

Na marcação das alfaias
no tilintar do gonguê
no xiquexá das maracas
na marcação do agbê

=============================

9)
Toque o gonguê, balance o ganzá
É no baque virado que o Estrela vai passar

Cante sinhá, toque sinhô
Sou afro-africano e também Nação Nagô

=============================

10)
Mandei fazer uma casa com a janela voltada para mar
Para Dona Joventina, rainha de Portugal

Mandei fazer uma casa com a janela voltada para
Para Dona Erundina, rainha de Portugal

Quem foi que disse que o Estrela não saía?
O Estrela sai à rua com prazer e alegria!

Nesse beco escuro rodado a espinho (?)
Estrela Brilhante que vem no caminho!

=============================

11)

Foi na Virgem do Rosário
que os nossos tambores zoou

Zoou, zoou
Marivalda, a rainha, ela já se coroou

Canta minha nação, brilha o meu pavilhão
É no som dos tambores que Estrela é Nação Nagô

Canta toda nação, brilha o meu pavilhão
É no som dos tambores que Estrela é Nação Nagô

About Guardian

All the Lorem Ipsum generators on the Internet tend to repeat predefined an chunks as necessary, making this the first true generator on the Internet. All the Lorem Ipsum generators on the Internet tend to repeat predefined Lorem Ipsum as their default model text, and a search for web sites.