Monthly Archives: julho 2015

Home / 2015 / julho

Maracatu Quiloa no Projeto Calo na Mão: 10 anos de Bloco de Pedra

No sábado (25/7) durante a nossa oficina aberta receberemos nossos amigos do Maracatu Quiloa para comemorarmos nossos 10 anos! É uma alegria imensa abrirmos nossa casa para vocês!

 

10° Cortejo Quiloa – Foto: Rogério Sant’ana

10° Cortejo Quiloa – Foto: Rogério Sant’ana

 

O Quiloa é o primeiro grupo da Baixada Santista que se tem registros. Fundado em 2003 por estudantes da UNESP São Vicente, músicos e professores, que depois de participarem de um Arrastão de Maracatu de Baque Virado, na Feira Nordestina, em São Paulo. Liderado por Felipe Romano e Melina Cabral, o grupo começou a se reunir em uma república formada por estudantes da Unesp, onde começou a se pensar uma melhor maneira de aprender sobre o maracatu e despertar o interesse de mais pessoas para construir junto essa idéia de grupo. Com o apoio do Centro Acadêmico, os ensaios começaram a se realizar na própria faculdade.

 

Em setembro de 2004, diante da necessidade de aprimorar seus conhecimentos, o grupo, até então sem nome, decidiu convidar integrantes do grupo Viralatisse, Luiz Gustavo Silviano, Gledson Lima e Maria Carolina, para realizar uma oficina dentro das atividades da Semana da Biologia.

O primeiro arrastão de maracatu realizado pelo Quiloa, em fevereiro de 2006, contou com a participação do músico Nego Henrique, da banda Cordel do Fogo Encantado. Como a maioria dos integrantes do Quiloa eram alunos da Unesp e praticamente todos eram de outras cidades, a evasão era comum nos finais de ano. Portanto, no final deste ano, 3 dos 5 integrantes fundadores do Quiloa, Melina, Léo e Iara, voltaram para suas cidades, ficando o grupo sob a coordenação do músico Felipe Romano e apoio da educadora Carol Real.

 

Em 2007, foi realizado o segundo arrastão pelas ruas da cidade, na seqüência o grupo passou a ocupar o galpão cedido pelo diretor teatral, Tanah Corrêa, no bairro do Macuco, em Santos. Em abril, a presença de Mestre Shacon Vianna, da Nação Porto Rico – PE, em oficina aberta organizada pelo Quiloa, representou um marco para a história do grupo que passou a compreender o maracatu e sua responsabilidade como um meio do povo se expressar e mobilizar uns aos outros, colaborando diretamente na formação da cultura brasileira e na valorização de suas matrizes africanas, além do mestre auxiliar com os desafios impostos naquele momento de mais uma vez constituir a idéia de grupo, focando na possibilidade de desenvolver parcerias que fomentem o pertencimento e identidade cultural, resultando no convite de Mestre Shacon a Felipe para integrar a Nação Porto Rico como batuqueiro na passarela, em Recife, no ano seguinte.

 

Em julho de 2009, mais de 200 batuqueiros coloriram as ruas do centro de branco, amarelo e vermelho, identificando os integrantes do Bloco de Pedra/ SP e Quiloa. No mesmo mês, o grupo que buscava uma nova sede, conseguiu, por meio de uma parceria com a atriz Márcia Marques a ocupação de um casarão na Rua General Câmara, 99.

 

Durante o carnaval multicultural do Recife, o Quiloa foi homenageado com a escolha de uma de suas composições, “Essa é a minha Nação”, integrando o repertório do Porto Rico, que concorreu no desfile oficial dos Maracatus de Baque Virado, além de contar com nove integrantes do Quiloa na passarela. Na terça-feira de carnaval estreou como o primeiro maracatu fora do estado de Pernambuco a participar do carnaval do Recife.

 

O Maracatu Quiloa, durante seus 11 anos de realizações culturais com foco na cultura do Maracatu de Baque Virado, promove o intercâmbio cultural e proporciona a oportunidade de trocar, transmitir e vivenciar a Cultura Popular, realizando mostras de arte, cortejo, exposições, oficinas culturais, encontros e intervenções artísticas em espaços públicos e em outros pontos culturais, a Associação vem multiplicando os conhecimentos da cultura brasileira levando diversidade artística a todas as camadas sociais e assim fortalecendo a cultura popular na Baixada Santista.

 

quiloa_2

 

 Video: Quiloa e Bloco de Pedra – julho de 2009

 

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=ITTXmuJToHo?rel=0&controls=0&showinfo=0&w=640&h=480]

 

Texto retirado de: http://quiloa.maracatu.org.br/

 

OFICINA ABERTA: Vivência com o Mestre Hugo Leonardo – Nação do Maracatu Leão da Campina

Sábado dia 18 de julho, teremos o prazer de receber no Projeto Calo na Mão, Hugo Leonardo, mestre da Nação Leão da Campina (Recife – PE). Durante a oficina aberta, que tem como proposta um espaço livre onde qualquer pessoa pode aprender o maracatu de baque virado, iremos estudar e brincar a Nação do Maracatu Leão da Campina.

 

Oficina Aberta com Mestre Hugo

 

Fundado em 26 de Julho de 1997 na comunidade dos Coelhos, pelos integrantes do Centro Leão do Norte de Cultura Popular da cidade de Recife. Esse maracatu tem como símbolo a figura de um leão, o vermelho e o azul como as cores oficiais e como orixás patronos Iansã e Ogum. O Leão da Campina é composto em sua maioria por adolescentes e jovens, em grande parte moradores do bairro do Ibura em Recife.

 

Após a oficina aberta vamos fazer uma roda de conversa com o mestre para que ele nos conte um pouco de sua vivência dentro do maracatu e principalmente um pouco mais sobre sua Nação.

 

Vai perder?

 

INFORMAÇÕES:

Dia 18 de julho a partir das 15 horas

Entrada gratuita

Escola Estadual Professor Antonio Alves Cruz – Rua Alves Guimarães, 1511 – SP (próximo ao metrô Sumaré).

 

PARA SABER MAIS

Leão da Campina Desfile 2014 – clique aqui

Inventário Sonoro – clique aqui

Teaser DVD – clique aqui

 

About Guardian

All the Lorem Ipsum generators on the Internet tend to repeat predefined an chunks as necessary, making this the first true generator on the Internet. All the Lorem Ipsum generators on the Internet tend to repeat predefined Lorem Ipsum as their default model text, and a search for web sites.